domingo, 11 de dezembro de 2011

Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão!

Adoro observar a reação das pessoas quando lhes respondo qual é a minha religião. Quando digo que sou SUD, as pessoas retrucam: "és o que?" Então digo que significa ser um santo dos últimos dias, ou seja, um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Dependendo da pessoa com quem estou falando, noto um mexer de sobrancelha transparecendo certo desconforto. Grande parte das vezes em que menciono o nome "Jesus Cristo" entre pessoas pouco ou não religiosas, o tom da conversa muda. As pessoas nem conseguem disfarçar seu incômodo. Pelo menos aqui no Sul é assim. Pergunto-me por que isso, e a resposta logo vem: "é preconceito".

O preconceito contra o nome Jesus Cristo tem várias raízes. Como este nome está diretamente ligado à religiosidade, o preconceituoso, ao ouvi-lo, instantaneamente o associa à ignorância, irracionalidade, fanatismo ou pobreza. É normal que fique abismado ao ver pessoas instruídas "deixarem-se levar por fábulas" ensinadas no cristianismo.
Em minha opinião, parte da responsabilidade sobre o incômodo sentido por muitos que ouvem o nome do Salvador recai sobre os ombros dos fanáticos religiosos. O fanatismo leva as pessoas a falar demais sobre o que creem – chegando a ser inconvenientes, chamam as pessoas ao arrependimento (sem ter autoridade para tal), julgam sem misericórdia e condenam o pecador, como se estivessem acima da justiça divina. Sua fé geralmente muito teórica. Na prática, dificilmente vivem os ensinamentos do Evangelho.

Entre os erros mais comuns, cometidos por pessoas movidas pelo fanatismo, está a blasfêmia. É tomando o nome do Senhor em vão com muita frequência, que elas garantem o título pejorativo de crentes. Usam o nome do Senhor para cumprimentar as pessoas, para desejar um bom dia, uma boa viagem, uma boa noite de sono. Para dar graças exageradamente e, em muitos casos, em tom de voz alterado. Elas usam esse nome sagrado em suas conversas informais e, até, em momentos completamente inoportunos. Não avaliam a gravidade do erro de "tomar o nome do Senhor em vão". Na verdade, nem se importam com este mandamento ou importam-se, mas não demonstram através dos atos.

As demais pessoas (pouco religiosas ou sem religião) que usam inapropriadamente o nome do Senhor usam-na pra expressar espanto, insatisfação, tristeza, alegria, raiva e outros sentimentos. Na verdade, virou um termo pejorativo multiuso.

Muitas pessoas desconhecem o mandamento dados a Moisés em Êxodo 20:7: Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. Geralmente, por não terem uma atividade religiosa, não são recordados sobre isso ou nem se preocupam com o que as escrituras falam. Já os religiosos que tomam o nome do Senhor em vão dizem que O estão glorificando, ou que este mandamento não é mais necessário porque pertence ao Antigo Testamento.


Enfim, o fato é que grande parte do preconceito contra nosso Salvador (e o Pai Celestial) se dá pela má atitude de muitos em usar indevidamente nomes tão sagrados, desgastando-os de tal forma, que Os escutar pode gerar um grande desconforto.

Minha mensagem de natal para este ano é que amemos o nosso Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo, demonstrando respeito pelos Seus nomes sagrados. Usemos os nomes Deus, Jesus Cristo e outros títulos que ser referem a Eles, adequadamente. Jamais juremos pelo nome de nosso Deus. Não façamos piadas usando Seus nomes, não participemos nem apoiemos conversas informais em que o nome da Deidade está sendo usado com desrespeito. Sejamos mais cristãos na prática!

Nem sempre é fácil mudar nosso linguajar. Antes de ser SUD eu tomava o nome do Senhor em vão com muita frequência. Ao aprender sobre a gravidade dessa prática, esforcei-me para abandoná-la. Em pouco mais de um mês, já não falava mais. Basta ter vontade e policiar-se. Todos que conheço, que fizeram isso, conseguiram.

Que possamos ofertar uma linguagem mais pura, livre de blasfêmias, como presente de natal ao aniversariante. Nosso linguajar apropriado será uma grande bênção sobre nós e nosso lar. Poderemos estar mais dignos de receber a influência do Santo Espírito de Deus e, consequentemente, nossa vida será guiada por um "caminho mais excelente".

3 comentários:

  1. Muito bom Erika!
    Tenho visitado a igreja da minha namorada, para que um dia ela vir a "nossa" e, os comprimentos sempre se usam o nome do Senhor. Fico incomodado com tal atitude.
    E não é só isso, quase todas as coisas que se falam, usam o nome Dele, como você disse.

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Olá, Miryan. Eu que te agradeço por ter visitado meu blog e por ter comentado. Um abraço!

      Excluir